Cemitérios se preparam para dia de Finados - Correio do Síndico

Home Top Ad

ANUNCIE AQUI

31 de outubro de 2014

Cemitérios se preparam para dia de Finados

O acesso de carros ficará restrito aos que tiverem a autorização de vaga especial ou de pessoa com deficiência

Em 2 novembro, os portões dos seis cemitérios do DF – Asa Sul, Taguatinga, Gama, Sobradinho, Planaltina e Brazlândia – serão abertos uma hora mais cedo, às 7 horas. O acesso será permitido até as 19 horas. O atendimento ao público também será estendido nesse dia, será das 7h30 às 18 horas. 

Água

Os clientes que precisarem de água para a limpeza das sepulturas podem solicitar diretamente na administração do cemitério, como ocorre durante todo o ano. No dia 2, caminhões pipa ficarão estacionados em lugares estratégicos dos cemitérios para auxiliar na distribuição de água. Não falta água nos seis cemitérios do DF e as contas com a Caesb estão todas em dia. O jardineiros não têm direito à água da Campo da Esperança Serviços Ltda. 

Esses trabalhadores fazem a manutenção de sepulturas antigas dos cemitérios e são contratados diretamente pelos proprietários dos jazigos. A concessionária não tem nenhum vínculo com eles. A Osjacem (associação dos jardineiros) se comprometeu, na época da sua criação, a cadastrar seus membros e a pagar pela água consumida, para que os autônomos pudessem continuar cuidando dos túmulos das partes antigas dos cemitérios. Os jardineiros já prestavam esse tipo de serviço antes de a Campo da Esperança Serviços passar a administrar os cemitérios.

Para operacionalizar isso, a Caesb instalou dois hidrômetros em cada cemitério: um para a Campo da Esperança e outro para a Osjacem. A Campo da Esperança paga regularmente suas contas, mas a Osjacem já deve milhões de reais à Caesb. A água deles está cortada.

Manutenção

A Campo da Esperança Serviços Ltda. faz manutenção dos seis cemitérios do DF diariamente. Na área-parque (área nova), são feitos os serviços de irrigação, adubação, limpeza das placas de identificação das sepulturas, recolhimento de lixo e corte da grama. Na parte antiga, o serviço de manutenção é feito nas calçadas e gramados entre os túmulos. Qualquer túmulo com jardins e adornos devem ser cuidados pelos proprietários, uma vez que são bens imóveis. A concessionária só pode mexer nessas sepulturas com autorização da família, por meio da contratação do serviço de manutenção, ao custo mensal de R$ 35. 

Duas vezes por ano, os funcionários da Campo da Esperança Ltda. pintam as instalações. A dedetização também é realizada a cada seis meses nos seis cemitérios do DF. O cronograma é ajustado para ocorrer perto das datas de maior movimentação: Dia das Mães e Dia de Finados.

No Dia de Finados, o acesso de veículos aos cemitérios de Planaltina e de Brazlândia será proibido, uma vez que não há espaço para circulação de automóveis. O acesso de carros às demais unidades ficará restrito aos que tiverem a autorização de vaga especial ou de pessoa com deficiência emitida pelo Departamento de Trânsito (Detran-DF) – essa autorização é a mesma cobrada em estacionamentos públicos e privados durante todo o ano. Na Asa Sul, em Taguatinga, no Gama e em Sobradinho o público terá transporte coletivo gratuito dentro do cemitério. 

Todos os cemitérios aumentarão o número de terminais e de atendentes no feriado. Serão 15 terminais e 26 atendentes extras para reforçar o trabalho, além dos 170 funcionários da empresa, que permanecerão nos cemitérios em tempo integral. Velórios e sepultamentos serão realizados normalmente. 

Além dos 50 vigilantes que trabalham regularmente na segurança interna das unidades, haverá 38 homens nos cemitérios durante feriado. Como se trata de área pública sob concessão, os cemitérios também contarão com reforço da Secretaria de Segurança Pública, da Secretaria de Justiça, da Agefis, da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Detran e do Corpo de Bombeiros. 

Não será permitida a presença de vendedores ambulantes no interior dos cemitérios. Nas áreas externas, a responsabilidade pela segurança, pelo trânsito e pela fiscalização será das administrações regionais, da Agefis, do Detran e da Polícia Militar.

Os funcionários da empresa não realizam trabalhos de manutenção por fora para clientes. Esse tipo de serviço é prestado pelos jardineiros, todos autônomos sem vínculo com a Campo da Esperança Serviços Ltda. O valor cobrado por esses profissionais é superior ao cobrado pela empresa e não há garantias contratuais da prestação do serviço.

Qualquer reclamação sobre manutenção contratada diretamente com a Campo da Esperança Ltda. pode ser feita na administração do cemitério.