De entregador de marmitas ao Síndico mais famoso do Brasil - Correio do Síndico

Home Top Ad

ANUNCIE AQUI

31 de outubro de 2014

De entregador de marmitas ao Síndico mais famoso do Brasil

A cinebiografia Tim Maia estreia hoje nos cinemas de todo o País

A infância pobre de Sebastião Rodrigues Maia não impediu de se tornar um dos ícones da música do Brasil. Mais conhecido como Tim Maia, ele foi responsável pela introdução do estilo soul na música popular brasileira com a voz rouca, grave e carregada. Nasceu e cresceu na cidade do Rio de Janeiro, e hoje estreia a sua cinebiografia Tim Maia nas telas de cinema do Brasil.

E relembra grandes sucessos como Sossego, Você e Não quero dinheiro.
Tim Maia - o filme conta a trajetória de um dos mais polêmicos e queridos artistas da MPB em todos os tempos.

O filme é escrito por Nelson Motta baseado na biografia Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia irá retratar a instigante trajetória da vida do cantor, ainda desconhecida de alguns sem censura, sem restrições e sem julgamentos, fiel à memória rebelde, desbocada e transgressora de Tim Maia.

O longa irá mostrar também o envolvimento do astro com música, festas, romance e drogas. Pode ser considerada uma trajetória vertiginosa, que desafia a imaginação de qualquer contador de histórias, e faz dele um dos personagens mais divertidos e originais do Brasil contemporâneo.

Em entrevista coletiva realizada na segunda-feira, 27, em São Paulo, para o lançamento do longa, os dois atores que interpretam Tim Maia, Babu Santana e Robson Nunes, procuraram deixar a personalidade do cantor muito evidente, já que interpretar uma pessoa que já existiu é difícil, e mostrar um lado que o público não conheceu é um desafio. Babu Santana, por exemplo, engordou 15 quilos para interpretar o cantor na fase adulta. Algumas músicas foram dublagem e outras não.

Além dos dois atores, o filme reúne no elenco principal os atores Cauã Reymond, Alinne Moraes como a mulher do artista, George Sauma, Luis Lobianco e Laila Zaid.

O cantor Roberto Carlos, interpretado por George Sauma, aparece no filme, já que era amigo de adolescência do protagonista. Roberto fica famoso e se torna ídolo da jovem guarda e não dá muita atenção aos pedidos de ajuda do amigo para deslanchar a carreira.

Tim Maia era casado com Maria de Jesus Gomes da Silva, apelidada de Geisa, interpretada pela atriz Aline Moraes. Ele a conheceu quando ela tinha 17 anos. Tiveram um filho: Carmelo Maia, também conhecido como Telmo e José Carlos da Silva Nogueira, falecido em 2002. Assumiu o filho da esposa, Léo Maia, que estava grávida quando se conheceram. Após a separação, Geisa se casou com um delegado e Leo descobriu que Tim não era o seu pai biológico, mesmo assim a relação não foi abalada.

Na infância, Tim Maia teve contato com pessoas como Jorge Ben Jor e Erasmo Carlos. Na década de 50 fundou o grupo The Sputniks e na década de 60 se mudou para os Estados Unidos, onde conheceu o estilo soul, foi preso e deportado por roubo e porte de drogas. Na década de 70 gravou o primeiro disco, que foi sucesso no País com músicas como Primavera e Azul da Cor do Mar. Fundou o próprio selo chamado Seroma e depois Vitória Regia. Por ele, lançou na década de 90, Tim Maia Interpreta Clássicos da Bossa Nova e, mais tarde, Voltou a Clarear e Nova Era Glacial.

Tim Maia viveu nos Estados Unidos de 1959 a 1963. Lá, formou uma minibanda e gravou um disco compacto. Com um grupo de três amigos decidiram viajar para o sul do País com um carro roubado e fazendo pequenos furtos para bancar a viagem, o que resultou em cinco prisões. A prisão por porte de maconha lhe rendeu a deportação e a volta para o Brasil.

Na década de 80, o artista grava três Lp’s e participa de um musical. No final da década de 90, Tim contabilizou 32 discos em 42 anos de carreira. O cantor era conhecido por não atrasar em show ou não aparecer. Fazia uso frequente de uísque, cocaína e maconha e sofria com a obesidade, diabetes e problemas respiratórios.

Em 1998, durante uma apresentação no Teatro Municipal de Niterói, passou mal e teve que deixar o palco em uma ambulância. Após complicações cardiovasculares, Tim Maia faleceu dia 15 de março de 1998, aos 55 anos e com 140 quilos devido a uma infecção generalizada.

Tim Maia ainda é um fenômeno de popularidade. A revista Rolling Stone classificou Tim Maia como o maior cantor brasileiro de todos os tempos, e também como o 9º maior artista da música brasileira.

Ficha Técnica
Diretor – Mauro Lima
Produtores – Rodrigo Teixeira e Rômulo Marinho Jr.
Coprodução – Globo Filmes
Roteiro – Mauro Lima e Antonia Pellegrino 
Produtor Executivo – Raphael Mesquita 
Diretor de Fotografia – Dudu Miranda e Junior Malta 
Diretor de Arte – Claudio Amaral Peixoto 
Figurinista – Reka Koves
Maquiagem – Lucila Robirosa
Montagem – Quito Ribeiro, edt e Bruno Lasevicius 
Produção de Elenco – Marcela Altberg 
Música Original – Berna Ceppas e Mauro Lima 
Produtor Musical – Berna Ceppas 
Desenho de Som – François Wolf 
Mixagem – Armando Torres Jr.
Som Direto – George Saldanha 1a Assistente de Direção – Cláudia Castro 
Direção de Produção – Fernanda Polastri 
Produtores Associados – Cauã Reymond, Guel Arraes, Paulo Misasi e Mário Canivello
Elenco
Babu Santana – Tim Maia (adulto)
Robson Nunes – Tim Maia (jovem)
Alinne Moraes – Janaína
Cauã Reymond – Fábio
Luis Lobianco – Carlos Imperial
George Sauma – Roberto Carlos
Bryan Ruffo – Valcir Ribeiro
Tito Naville – Erasmo Carlos
André Dale – Wellington
Marco Sorriso – Cromado
Laila Zaid – Susi
Valdinéia Soriano – Dona Maria
Renata Guida – Rita Lee
Mallu – Nara Leão
Nando Cunha – Manuel Jacinto

Prêmios e Homenagens

Em 1988, 1990, 1992, 1993, 1995, 1997 foi o vencedor do prestigiado Prêmio da Música Brasileira na categoria de Melhor Cantor.

Em 2004, a Som Livre lançou o álbum Soul Tim: Duetos, onde vários artistas, como Luiz Melodia, Fat Family, Claudinho e Buchecha, realizaram duetos póstumos (através de recursos tecnológicos, semelhante à gravação de Unforgettable por Nat King Cole e a filha Natalie Cole).

Em janeiro de 2001, o guitarrista Robin Finck do Guns N' Roses tocou uma versão de Sossego, durante a apresentação da banda no Rock In Rio III.

Em 2007, a Rede Globo de televisão homenageou Tim no especial Por Toda a Minha Vida.

Também em 2007, o jornalista e produtor musical Nelson Motta, amigo e fã de Tim, lançou o best-seller Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia” (pela Editora Objetiva). Em 2009, foi homenageado no programa Som Brasil com participações de Leo Maia, Seu Jorge, Thalma de Freitas, Marku Ribas, Carlos Dafé, Taryn Spielman e a banda Instituto