Especialista alerta para cuidados com foliculite - Correio do Síndico

Home Top Ad

ANUNCIE AQUI

10 de agosto de 2015

Especialista alerta para cuidados com foliculite

A inflamação atinge os folículos pilosos e pode trazer vermelhidão, coceira, produção de pus e até perda parcial ou total dos pelos da região

Sabe aquelas bolinhas vermelhas que nascem, geralmente, nas áreas com pelo, e que coçam, inflamam e às vezes produzem até pus? Essas bolinhas são uma inflamação chamada foliculite e, se não tratada corretamente, pode se tornar uma grande dor de cabeça.

A foliculite pode ser ocasionada por infecções bacterianas, como a Staphylococcus aureus – a mais comum -, a Pseudomanas ou bactérias gram negativas, que normalmente aparecem em pacientes que fazem uso prolongado de antibióticos. Mas também pode ser causada por depilação frequente ou por contato com certos fungos ou vírus. Na maioria dos casos, ela é superficial, atingindo apenas a parte superior dos folículos pilosos e causando as tais bolinhas vermelhas, além de coceira, sensibilidade na região e, comumente, a produção de “bolinhas de pus”. Nos casos onde a inflamação é mais profunda, ela leva também à formação de furúnculos na região.

Dr. Luciano Morgado, dermatologista e diretor da Clínica Monte Parnaso, explica os principais locais onde a inflamação costuma aparecer: “O dano à região do folículo piloso é um fator importante no desenvolvimento da foliculite. Dessa forma, áreas submetidas à depilação constante são mais atingidas, como a barba no homem e as axilas, virilha e perna nas mulheres. O atrito e a oclusão da pele também desencadeiam o surgimento de lesões. Por isso, a maior incidência nas nádegas e em pessoas que fazem uso frequente de roupas sintéticas e apertadas, assim como de óleos de massagem. Áreas com transpiração excessiva também são mais afetadas”, conta.

O tratamento da foliculite começa após ser identificado o modo como ela foi contraída. “As lesões de causa bacteriana são tratadas com antibióticos tópicos e orais, quando preciso. No caso das causadas por fungos, são usadas medicações antifúngicas tópicas e orais. Em muitas situações, o uso de corticóides tópicos e medicações anti-histamínicas podem também ser úteis para aliviar a inflamação e a coceira”, explica o dermatologista.

No caso de foliculite causada após depilação excessiva, o tratamento começa eliminando – por um período – o fator que a causou. “Nestes casos, realizamos a depilação a laser, que é bastante efetiva no tratamento, pois a diminuição dos pelos no local e da frequência do ato depilatório levam a uma melhora significativa dos sintomas. Também costumamos usar um medicamento oral chamado isotretinóina, que é bastante utilizado no tratamento da acne, e leva a um excelente controle da foliculite, principalmente, a da barba e do couro cabeludo”, explica.

Dr. Luciano Morgado ainda dá algumas dicas para evitar problemas com foliculite. Confira:

Evite usar sempre roupas sintéticas ou apertadas;
Faça a barba com lâminas novas e no sentido do crescimento do pelo;
Use creme para barbear e um hidratante específico pós barba;
De preferência aos barbeadores elétricos;
Evite depilações muito traumáticas, como a com cera e plástico adesivo;
Não use em excesso loções e sabonetes antissépticos, pois ressecam a pele e eliminam a flora normal protetora da pele, o que favorece a penetração de bactérias mais agressivas.

Fonte: Redação.