A importância da manutenção das bombas d’água - Correio do Síndico

Home Top Ad

ANUNCIE AQUI

15 de dezembro de 2015

A importância da manutenção das bombas d’água

Aparelhos são responsáveis pela distribuição da água no prédio. Se não estiverem em bom funcionamento, prejudicam todos os moradores

Um equipamento importante do condomínio a que nem todo mundo presta muita atenção é a bomba d’água. Ela é a responsável por levar a água da rua ao reservatório do prédio, que por sua vez, abastece todas as unidades. Por isso, é importante que o equipamento esteja em boas condições de uso.

Para garantir a eficiência no funcionamento, o primeiro fator a ser observado é a correta escolha e instalação da bomba. De acordo com o proprietário da empresa Universo das Bombas, Antônio Rubens Dutra, a capacidade ideal da bomba para cada edifício é calculada pelo número de andares. Por esse cálculo, é possível saber se o modelo instalado proporciona vazão suficiente para abastecer todos os apartamentos. “Se a vazão for mal calculada gera falta d’água e eleva o consumo de energia, porque a bomba fica ligada o dia inteiro e não desarma automaticamente por não dar vazão para encher a caixa d’água superior”, explica Rubens.

Outro aspecto fundamental para manter a bomba em bom funcionamento é observar como ela está trabalhando. É preciso verificar se ela faz barulho excessivo ou se está levando mais tempo para encher o reservatório. “Se isso estiver acontecendo significa que a bomba está com problemas e precisando de manutenção”, diz Rubens.

Manutenção – Para que a bomba funcione corretamente, é preciso que o síndico solicite manutenção anual preventiva. Ela deve ser feita preferencialmente com empresa especializada. O técnico vai verificar as partes elétrica e hidráulica do equipamento, e quando necessário, recomendar a troca.

Segundo o proprietário da empresa Pronto Socorro das Bombas, Wellerson Braga, as bombas antigas tinham maior vida útil, de cerca de 20 anos. As atuais não duram tanto. Por isso, a manutenção é fundamental para evitar trocas. “Se a manutenção não for feita, a bomba pode queimar e o gasto vai ser bem maior no conserto, sendo que pode até ser necessária a troca”, alerta Wellerson.

O síndico tem grande responsabilidade na conservação das bombas. De acordo com o supervisor de manutenção do Paraíso das Bombas, Alexandre Liz, é preciso que o síndico contrate uma empresa especializada e não colocar o porteiro ou zelador para mexer no equipamento, como acontece frequentemente. “Normalmente, a construtora entrega o prédio com duas bombas para serem utilizadas em 15 dias alternados. A maioria dos condomínios não faz essa alternância e quando uma das bombas começa a dar problema, o síndico pede para o porteiro olhar. Ele joga para a outra bomba e não sabe verificar se há defeito e qual. Aí, o que seria um simples problema, passa a ser um agravante”, explica o supervisor.

Alexandre diz ainda, que o contrato de manutenção não é caro e inclui uma visita do técnico mensal, mais quantos chamados forem precisos e peças necessárias para reparos na bomba.

Além da bomba da caixa d’água, outros dispositivos como esse são utilizados nos condomínios e também precisam de manutenção, como as bombas das piscinas e dos aquecedores solares e a gás. Estes últimos precisam de reparos preventivos a cada seis meses.