O TERROR VAI CONTINUAR: AGEFIS PLANEJA DERRUBAR CASAS EM CONDOMÍNIOS DA REGIÃO DO JARDIM BOTÂNICO, SOBRADINHO E VICENTE PIRES - Correio do Síndico

Home Top Ad

ANUNCIE AQUI

7 de dezembro de 2015

O TERROR VAI CONTINUAR: AGEFIS PLANEJA DERRUBAR CASAS EM CONDOMÍNIOS DA REGIÃO DO JARDIM BOTÂNICO, SOBRADINHO E VICENTE PIRES

Depois de comemorar com todo sadismo a derrubada de 213 casas no Sol Nascente, em Ceilândia, colocando ao desabrigo mais de 800 pessoas, a presidente da Agefis, Bruna Pinheiro, planeja derrubar casas de condomínios no Altiplano Leste e do Setor Habitacional, São Bartolomeu na região do Jardim Botânico, bem como continuar as operações no Bougainville (sobradinho) e Chácaras de Vicente Pires

 
As operações de derrubadas, segundo a agenda anunciada pela Agencia de Fiscalização, se encerrarão no dia 28 de dezembro e prosseguirão a partir do dia 4 de janeiro.

Informações obtidas através de fontes do Radar dentro da Agefis, a lista não apontam os nomes dos condomínios ou chácaras que deverão ter imóveis derrubados sob a alegação de que foram construídos no período de julho do ano passado até a presente data em “áreas públicas”, mas dá um forte indicativo que, no caso da Região do Jardim Botânico, estariam na mira dos tratores da Agefis, os condomínios Estância Quinta da Alvorada, Mini Chácaras e Prive Etapa C. As informações foram passadas neste sábado por fontes seguras de dentro da própria Agefis ao Radar Condomínios.

Em Vicente Pires, a agenda de operações, segundo informações, também não apontam quais as chácaras que devem ser erradicadas. No entanto, são alvos as Chácaras 192, 42, 85 e a 86. A Chácara 94, localizada na Rua 3 de Vicente Pires, segundo ainda informações, estaria fora das operações de derrubadas a pedido feito ao próprio governador pelo dono de um Shoping existente na área. O empresário teria sido doador da campanha de Rollemberg.

A Polícia Militar já se encontra de prontidão com mais de 150 homens, incluindo agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Corpo de Bombeiros, além de homens da Seops e da Agefis para por em pratica as operações conjuntas na região do Jardim Botânico e Vicente Pires a partir dessa terça-feira (08) se estendendo ate o dia 28 com a entrada do recesso de fim de ano.

A agenda será retomada no dia 4 de janeiro com operações novamente no condomínio Bougainville. Os moradores do condomínio, em que a Agefis demoliu 45 casas usando o processo de invasão a domicílios e atirando bombas de gás lacrimogêneo para evacuar as famílias de dentro de suas residências, decidiram recorrer ao Supremo Tribunal Federal com a impetração de um “habeas corpus”, com pedido de liminar, visando afastar coação ilegal e irresistível a que estão submetidos durante as operações de derrubadas.

Segundo informações obtidas pelo Radar, a ordem é erradicar todo o condomínio, ou seja, as 40 casas restantes. O advogado Mario Gilberto Oliveira informou ao Radar que o Governo vem fazendo uma ilegalidade ao efetuar prisões de moradores, retirando-lhes, à força de dentro das suas residências, abrindo, assim, o caminho para a prática do crime de inconstitucionalidade que tem previsão no artigo 5º, XI, da CF/88. Ele diz torcer para que o STF acolha o pedido de “habeas corpus” e garanta o cumprimento da Carta Magna do País. “Se isso não ocorrer, voltamos à idade média e da barbaria”, disse o advogado.

Mario Gilberto disse esperar que os moradores de condomínios, principalmente dos que estão sendo ameaçados de erradicação, deixem as suas comodidades e participem da audiência pública a ser realizada nesta segunda-feira, a partir das 15 horas na Câmara Legislativa. O Advogado está coberto de razão. Mas que uma audiência, será uma ação de protestos e de pressão contra o governo e aos próprios deputados para que cessem as derrubadas e as invasões criminosas aos domicílios. Isso só pode parar se houve a participação de todos. Caso contrário, muita gente vai passar o Natal, humilhado, escorraçado e ao relento.

Da Redação Radar Condomínios.