Confira oito dicas para se tornar um bom síndico - Correio do Síndico

Home Top Ad

ANUNCIE AQUI

12 de julho de 2016

Confira oito dicas para se tornar um bom síndico

Ser síndico do condomínio está longe de ser fácil. Contratar um profissional é o mais recomendado, mas nem sempre há verba e, assim, o jeito é escolher um morador. Mas a função envolve uma série de atividades e conhecimentos. Quando você é escolhido, é bom estar preparado. Acompanhe oito dicas da INOVA GESTÃO 


Foto: Internet. 
1. Busque sempre conhecimento – Na administração condominial, você irá desempenhar atividades em várias áreas. A melhor forma de ser um bom síndico é estar constantemente atualizado, qualificando-se sempre que possível com cursos, palestras, leituras e conversando com outros síndicos. O conhecimento é a base de tudo. 

2. Conheça as regras – Antes mesmo de você ter sido escolhido, é importante ter conhecimento sobre as regras internas. Uma das primeiras ações é ler atentamente a convenção e o regimento interno, sabendo exatamente quais são as regras. Além disso, é fundamental estar atento aos documentos internos e, também, a toda a legislação da área, federal e distrital. 

3. Organização e dedicação – De nada adianta querer ser bom síndico se você não tem o perfil e requisitos básicos. Assim, ser uma pessoa organizada e comprometida no dia a dia do trabalho é fundamental para uma boa gestão condominial. Ser síndico é uma função muitas vezes trabalhosa, é preciso lidar com diversas questões burocráticas, ter o controle de documentos e estar sempre envolvido nas suas responsabilidades diárias. Por isso, é muito importante que você seja uma pessoa dedicada nas tarefas que a administração condominial envolve e saiba gerir o seu trabalho de forma planejada. 

4. Gestão transparente – É seu dever controlar as despesas do condomínio, agindo com transparência na gestão financeira e na prestação de contas. Quando você é escolhido para administrar as finanças do seu condomínio, é preciso ter em mente que é de interesse dos moradores saber os gastos que envolvem diretamente a cobrança da taxa de condomínio e é sua obrigação tornar pública todas as informações aos condôminos. 

5. Apoio do conselho –É muito importante que o síndico possa contar com o suporte do conselho, principalmente em se tratando das finanças. É o conselho fiscal que auxiliará a manter o equilíbrio financeiro, a fiscalizar a prestação de contas, a analisar os contratos, a revisar e emitir pareceres, a garantir uma previsão orçamentária adequada e tantas outras ações. 

6. Comunicação – Além de ter bom relacionamento interpessoal, é importante estabelecer uma comunicação próxima e eficaz entre os moradores. Seja um síndico participativo, que sabe ouvir o que todos têm a dizer, e esteja aberto ao diálogo. Isso auxilia na tomada de decisões certas e permite melhor relacionamento. 

7. Equipe qualificada – Você deve selecionar os melhores coligados e contar com uma equipe preparada para atender as demandas. Um bom síndico deve também qualificar e treinar funcionários a fim de otimizar a administração e evitar problemas devido à falta de capacitação da equipe. 


8. Auxílio profissional – Contar com empresa especializada em serviços de administração condominial é fundamental, pois hoje os condomínios são tratados praticamente como empresas junto a órgãos fiscalizadores. As administradoras de condomínios funcionam como assessoria do síndico para diversos segmentos: administração financeira, controle de saldo, pagamento de despesas, entre outras.